Generalizando

Ao contrário do que muitos dizem, esta geração não está PERDIDA. Pelo menos não é correta a IMPLICAÇÃO que está por trás do clichê – de que a geração está perdida porque se perdeu, como se tivesse virado na direção errada a caminho do que é o claro e reto TRILHO DO FUTURO. A geração foi colocada por outrem num labirinto CAÓTICO causado pelos tropeções das gerações anteriores que derrubaram as estruturas do NOSSO caminho. Viciaram o JOGO antes de chegarmos e ainda por cima culpam a nós da inescapabilidade de uma situação da qual não tivemos controle.

Continue lendo “Generalizando”

Anúncios
Post Destacado

Libertação Social

Libertação Social

Vocês já pararam para notar o quanto hoje em dia é aplaudido quem exagera em algum comportamento?
Deixe me explicar melhor:
Como sociedade em um todo somos a muito tempo oprimidos, por regras, dogmas e religiões a termos medos, receios, nos culpar e nos punir por aquilo que pensamos e sentimos, tanto no âmbito social quanto cultural quanto sexual, e a muitos anos Sempre foi exigido um comportamento padrão, uma forma de ser padrão, e isso migrou também para as vestimentas, comportamentos, sexualidade, enfim, resumindo toda a sociedade é oprimida em sua forma única e individual de ser a muitos e muitos anos, e hoje em dia estamos aprendendo a nos expor mais, arriscar mais, nos expressar mais, por pra fora o que temos a tanto tempo guardado e reprimido em todos sentidos, e ao meu ver isso é ótimo, é um bom inicio para um crescimento e evolução social como um todo, porém essa bomba relógio emocional guardada a tantas gerações esta ao meu ver explodindo com tudo!

Parece que toda e qualquer exposição exagerada de qualquer situação, opinião ou emoção é aplaudida de pé pela sociedade como uma boa aprovação, pois afinal de contas como todos estão aprendendo a se expressar, quando vêem alguém se expondo por alguma opinião ou sentimento, gera automaticamente uma conexão com os demais que possivelmente também gostariam de fazer aquilo, ou se identificam de alguma forma com o ato!

A era dos “8 ou 80” está dominando nossa sociedade com muita força, e não que se expressar seja errado longe disso, o detalhe é que ninguém tem a minima noção do porque quer se expressar assim, nem entende o que sente e porque o sente, só expõe pra fora de diversas formas, através de ódio a algo, ou amor demais a outro, ela crê que deve fazer isso pelos seus motivos e vontade extrema de se libertar e auto conhecer, porém parece realmente não se auto entender o suficiente para localizar de onde vêem esses seus sentimentos reprimidos e como lidar com eles, parecemos estar numa sociedade extremamente julgadora, mas, mais para com o externo do que com o interno, julgamos todo e qualquer ato alheio que não NOS convém, claro que têm todo o lado positivo de querer mudar e julgar questões ultrapassadas e conservadoristas e tal e sim isso deve SIM ser mudado e com força! Mas a questão para mim não é essa, e sim o quanto estamos trabalhando com a gente mesmo? O quanto estamos dispostos a refletir e mudar atitudes próprias?

Ódio a qualquer questão sem reflexão alguma, somente num ctrl c ctrl v social, se propaga com força total sem qualquer questionamento, odiar aos outros nunca foi tao fácil, pegar “antipatia”, dizer que o “santo não bateu”, não gostar de alguém, nunca foi tão fácil, somos julgados e somos postos em caixas de julgamento e estereótipo de forma tao simples que da dó! Somos MUITO mais profundos do que APENAS uma única atitude mal interpretada!
Porém, parece ser sempre mais fácil julgar e colocar em um estereótipo do que de fato tentar entender que esse outro ser humano diferente de você, pensa diferente, possui experiências diferentes e vê o mundo de forma diferente, claro isso é muito mais trabalhoso e doloroso e geralmente precisa entrar em conflito com questões pessoais nossas o que torna muito mais difícil, pois daí teríamos que pensar e cutucar questões pessoais que possivelmente possam nos trazer alguma dor!

Enfim, atualmente estamos glamurizando pessoas que se orgulham em ser 8 ou 80, estamos glamurizando pessoas rançosas, isso inclui o sucesso da camisa, estamos glamurizando qualquer traço de personalidade exagerada que inclui pessoas que se atrasam demais, ou possuem algum outro descontrole próprio, acredito que devido á isso! Nos sentimos identificados de alguma forma, com esse jeito coletivo de se expressar exageradamente, devido a muitos anos de opressão e julgamento e tudo isso faz parte de alguma forma de libertação (pensando positivamente)!
Mas é sempre bom lembrar que entre o 8 ou 80 há 72 outras possibilidades! Sempre existirá um equilíbrio para qualquer situação! Sempre haverá outra saída, junto ao conhecimento próprio mais a empatia que isso acarreta!

Não devemos respeitar e sentir amor apenas por quem pensa e age como nós! Todos são dignos de respeito! Amor, carinho e compreensão! E quando seu 80 lhe disser algo? Pare para ouvir e veja que provavelmente isso venha de você mesma!

Cegueira Grupal

Na real, penso varias coisas a respeito desse assunto porém sem nada definido, acredito sempre nunca ter certeza a respeito de nada como já diziam no “chaves”, enfim,  

Penso que em toda nossa historia como como povo “civilizado”, ou até mesmo antes disso, tendemos a assumir papeis como grupo, aqueles que lideram, aqueles que corrompem, aqueles que seguem, talvez como um fator de sobrevivência mesmo por nos basear tanto em outros seres humanos por justamente sermos seres sociais acabamos mesmo que instintivamente e inconscientemente confiando tanto em outra figura que nos pareça familiar ou de hierarquia maior, creditamos tudo a esses “líderes”. 
Durante nossa história isso muitas vezes deu certo e outras vezes deu errado, e as vezes acabo refletindo sobre porque em alguma situações um grupo de pessoas independente do tamanho tomam decisões erradas estando completamente certos do que estão fazendo sem ser possível qualquer questionamento? 

Será que esses cérebros se conectam como se fossem alguma rede específica de opiniões, que por assim criam esses “laços” de confiabilidade? 
Pois todos nós como seres sociais buscamos nos sentir aceitos socialmente de alguma forma buscamos ser bem sucedidos em algum grupo, e quanto mais há um grupo que partilha das nossas ideias e sentimentos mais nos sentimos seguros para nos enquadrar e não somente isso, brigar e defender aquilo de todas as formas, ignorando inclusive o bom senso, a empatia, a auto critica, enfim somente pertencer a um lugar onde nos sentimos de uma certa forma seguros e acolhidos, de certa forma torna esse grupo um organismo só, um simbionte, uma entidade que praticamente se espalha, e pensa por si e toma suas próprias decisões, o que individualmente não é visto gerando claro muitas vezes exagero e fanatismo, a exemplo pode se citar jogos de qualquer esporte onde se inicia uma briga específica, percebe-se logo que ela vai invadindo todo o lugar, pois por mais que a briga seja algo particular, o grupo irá agir pois seriam “um só”,  ao invés do grupo maior interromper a briga desnecessária ele continua pois naquele momento ninguém mais tem a capacidade de pensar como indivíduo aparentemente agora é o grupo deles contra o do outro, e isso é bem perigoso pois quando vai se entendendo sobre vai se dominando cada vez mais uma grande massa, ao estudar os comportamentos das dos grandes pequenos e grandes números assim como um jogador de xadrez alguém pode muito planejar seu próximo passo a fim de atingir seus objetivos, “dividir para conquistar” , conceituada frase que faz bastante sentido! 

 

Não escrevo isso estando de um lado ou outro das eleições, pois vejo todo o nosso sistema e modo de funcionar como quebrado e doente, 

 

não estou ao lado de nenhum partido nem nada, 

 

só acho que todos como sociedade do qual deveríamos ser o “grande grupo” , e tentar não nos dividir tanto, pois a partir do momento que idolatramos tanto alguém que nitidamente caga para nós, estamos cegamente dando um tiro nos próprios pés! 
Que consigamos cada vez mais enxergar através do nosso grupo apenas e pensar num coletivo ainda maior, pois talvez somente assim juntando esse quebra cabeças desmontado em que vivemos socialmente, somente somando suas partes em um objetivo comum possamos melhorar de alguma forma, tanto individualmente , quanto em pequenos grupos quanto também em larga escala, unindo todos talvez um dia possamos diminuir as diferenças e os preconceitos e com o poder do grupo onde todos são dignos e todos são humanos possamos seguir em frente nos sentindo realmente seguros! 

 

Manada

Manada

Agora que a poeira do fim das eleições “baixou”, me permito expor aqui algumas ideias que penso a respeito disso tudo.

Na real, penso varias coisas a respeito desse assunto porém sem nada definido, acredito sempre nunca ter certeza a respeito de nada como já diziam no “chaves”, enfim, Penso que em toda nossa historia como como povo “civilizado”, ou até mesmo antes disso, tendemos a assumir papeis como grupo, aqueles que lideram, aqueles que corrompem, aqueles que seguem, talvez como um fator de sobrevivência mesmo por nos basear tanto em outros seres humanos por justamente sermos seres sociais acabamos mesmo que instintivamente e inconscientemente confiando tanto em outra figura que nos pareça familiar ou de hierarquia maior, creditamos tudo a esses “líderes”.
Durante nossa história isso muitas vezes deu certo e outras vezes deu errado, e as vezes acabo refletindo sobre porque em alguma situações um grupo de pessoas independente do tamanho tomam decisões erradas estando completamente certos do que estão fazendo sem ser possível qualquer questionamento?

Será que esses cérebros se conectam como se fossem alguma rede específica de opiniões, que por assim criam esses “laços” de confiabilidade?
Pois todos nós como seres sociais buscamos nos sentir aceitos socialmente de alguma forma buscamos ser bem sucedidos em algum grupo, e quanto mais há um grupo que partilha das nossas ideias e sentimentos mais nos sentimos seguros para nos enquadrar e não somente isso, brigar e defender aquilo de todas as formas, ignorando inclusive o bom senso, a empatia, a auto critica, enfim somente pertencer a um lugar onde nos sentimos de uma certa forma seguros e acolhidos, de certa forma torna esse grupo um organismo só, um simbionte, uma entidade que praticamente se espalha, e pensa por si e toma suas próprias decisões, o que individualmente não é visto gerando claro muitas vezes exagero e fanatismo, a exemplo pode se citar jogos de qualquer esporte onde se inicia uma briga específica, percebe-se logo que ela vai invadindo todo o lugar, pois por mais que a briga seja algo particular, o grupo irá agir pois seriam “um só”,  ao invés do grupo maior interromper a briga desnecessária ele continua pois naquele momento ninguém mais tem a capacidade de pensar como indivíduo aparentemente agora é o grupo deles contra o do outro, e isso é bem perigoso pois quando vai se entendendo sobre vai se dominando cada vez mais uma grande massa, ao estudar os comportamentos das dos grandes pequenos e grandes números assim como um jogador de xadrez alguém pode muito planejar seu próximo passo a fim de atingir seus objetivos, “dividir para conquistar” , conceituada frase que faz bastante sentido!

Não escrevo isso estando de um lado ou outro das eleições, pois vejo todo o nosso sistema e modo de funcionar como quebrado e doente, não estou ao lado de nenhum partido nem nada, só acho que todos como sociedade do qual deveríamos ser o “grande grupo” , e tentar não nos dividir tanto, pois a partir do momento que idolatramos tanto alguém que nitidamente caga para nós, estamos cegamente dando um tiro nos próprios pés!
Que consigamos cada vez mais enxergar através do nosso grupo apenas e pensar num coletivo ainda maior, pois talvez somente assim juntando esse quebra cabeças desmontado em que vivemos socialmente, somente somando suas partes em um objetivo comum possamos melhorar de alguma forma, tanto individualmente , quanto em pequenos grupos quanto também em larga escala, unindo todos talvez um dia possamos diminuir as diferenças e os preconceitos e com o poder do grupo onde todos são dignos e todos são humanos possamos seguir em frente nos sentindo realmente seguros!

Podcasts

Solo de Bateria – s01ep02

Dinho Farias faz a sua estreia sonoro-onanista confabulando a opinião e o argumento. E também cocô.

“Até quando você vai levando?….”

Em momentos como esse que vivemos no Brasil que paro ainda mais para refletir, sobre quão forte é a influencia, o poder e o controle que os governos com seus sistemas e estratégias vem nos “amansando”  com o passar dos anos e gerações de uma maneira que chega a soar até como anedota para qualquer outro ouvido estrangeiro.
As coisas que suportamos aqui e levamos na piada me preocupa bastante e da mesma forma me entristece.
Continue lendo ““Até quando você vai levando?….””

Massacre de Las Vegas

Após o ultimo acontecimento extremamente trágico nos EUA, que por sinal seria mais um de muitos outros do mesmo tipo, porém de uma proporção bem maior, levantaram-se muitos debates políticos a respeito do desarmamento ou não, que isso poderia ser culpa do livre acesso dos americanos a portar armas etc, Acredito que não seria nem um caso nem outro, penso que para tudo sempre deve haver algum equilíbrio, nem tudo para um lado nem para outro.

Continue lendo “Massacre de Las Vegas”

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑